Novo queijo vegano brasileiro sucede o Mandiokejo

Por Yuri Gonzaga

A empresa de suplementos curitibana Natural Science lançou neste mês o Queijoquinha, um preparado em pó para fazer uma alternativa ao queijo livre de ingredientes de origem animal (e, portanto, apropriado para o consumo por intolerantes à lactose).

Pude provar uma amostra enviada pela companhia e, muito saboroso, o queijo vegano em pó pode ser preparado com mais ou menos óleo e lembra bastante o Mandiokejo, descontinuado durante o atual hiato da empresa que era responsável por ele, a catarinense Manioc/Quebra-cabeça.

O queijo vegano Queijoquinha é recomendado pela empresa para pizzas e lasanhas (Divulgação)
O queijo vegano Queijoquinha é recomendado pela empresa para pizzas e lasanhas (Divulgação)

“Houve inspiração não só em uma marca, mas em várias soluções oferecidas pelo mercado”, disse em entrevista ao “Veg” Leandro Duarte, fundador da Natural Science e responsável pelo desenvolvimento do produto. “Testamos todas as opções e discutimos como poderíamos fazer melhor.”

Duarte conta que a demanda por substitutos lácteos, em específico as alternativas ao queijo, é uma das maiores entre as dos seus consumidores, em maioria veganos. “As opções prontas eram caras demais, e as caseiras dão muito trabalho para preparar”, afirma.

De fato, os queijos livres de origem animal prontos, sejam caseiros ou industriais, são pouco acessíveis no Brasil, custando, no caso do excelente que é feito pelo Loving Hut, R$ 23 na porção de 500 g.

O produto se torna uma espécie de requeijão se preparado com uma maior proporção de azeite ou de outro óleo vegetal, ou uma muçarela se feito com menos. Nos meus testes, preparei o Queijoquinha –que leva o nome por ser feito de mandioquinha, também conhecida como batata-baroa ou batata-salsa– com zero gordura, e ficou bom.

O pote de 1,5 kg (que rende até 9 kg, segundo a empresa) está sendo vendido por R$ 90. Duarte diz que pretende vender em apresentação menos bojuda, com 200 g (que renderia 1,2 kg de queijo) em junho, além de outros sabores –sobre o qual fez mistério.

O empresário afirma que o lançamento foi positivo. “Teve saída incrivelmente rápida, foi nosso melhor lançamento até hoje. Mas é cedo para dizer se se tornará nosso carro-chefe, já que nosso foco sempre foi nas proteínas vegetais.”

Duarte promete outros lançamentos para o ano, depois de, segundo ele, a empresa terminar de “reformular” a linha de suplementos, que incluem uma barra de proteína vegetal. “Estamos com alguns produtos novos em desenvolvimento. Fiz uma viagem à Itália e de lá tirei várias inspirações.”