Com veto ao foie gras, SP se une a Alemanha, Reino Unido e outros; veja lista

Por Yuri Gonzaga

São Paulo não é o único lugar onde o foie gras, fígado de ganso engordado a força, enfrenta restrições legais.

A prefeitura sancionou na quinta (25) um projeto de lei (leia o publicado no “Diário Oficial” nesta sexta) que torna ilegal a produção e a venda do ingrediente, o que a aproximou aos seguintes governos onde a alimentação forçada de aves é proibida:

Vale lembrar que a lei, de autoria do vereador Laércio Benko (PHS) e aprovada na Câmara Municipal no mês passado, também determina o veto à venda de itens de vestuário feitos a partir de pele de animal criados exclusivamente para esse fim.

Método de alimentação forçada, "gavage", em Pinsac, na França (Jérôme S/Creative Commons)
Método de alimentação forçada, “gavage”, em Rocamadour, na França (Jérôme S/Creative Commons)

A Califórnia determinou em 2004 o banimento da produção de foie gras no Estado, em um texto que entrou em vigor em julho de 2012 e que foi revogado em janeiro deste ano.

Uma semana depois da volta à legalidade, donos de restaurante que serviram o produto relataram ao site Huffington Post ter sofrido ameaças de morte.

A cidade americana de Chicago também proibiu a venda de foie gras com uma lei de 2006. O veto, contudo, foi revertido dois anos depois.

San Diego, na Califórnia, determinou a ilegalidade do produto em 2008, antes de a lei estadual entrar em vigor, mas a proibição foi sustada junto com a legislação do Estado, em janeiro.

Os maiores produtores de foie gras são Bélgica, Bulgária, Canadá, China, Espanha, França, Hungria.