Veganos dizem boicotar Havaianas depois de venda para a dona da JBS

Por Yuri Gonzaga

O anúncio da aquisição da Alpargatas, que fabrica os chinelos Havaianas e outros calçados (veja abaixo), pelo grupo que controla o frigorífico JBS-Friboi foi seguido de comentários negativos por alguns internautas, que dizem que não apoiariam uma companhia que mata milhões de animais anualmente.

(Reprodução/Twitter.com/f4cdesign)
(Reprodução/Twitter.com/f4cdesign)

O negócio de R$ 2,7 bilhões transferiu a dona dos chinelos de dedo (mas também das marcas Osklen, Topper e Rainha) do grupo Camargo Corrêa –investigado na operação Lava Jato– para o J&F Investimentos.

A Alpargatas também têm a licença para produzir e vender as marcas Timberland e Mizuno –esta última listada como uma 100% vegana pela ONG americana Peta (leia mais no fim do post).

“Boicote a todas essas marcas”, escreveu Adriana Greco.

“Nunca mais comprarei Havaianas”, ecoou @alegna_ange.

A JBS abateu 240 milhões de cabras, galinhas, ovelhas, porcos e vacas só em um trimestre do ano passado, sem contar a marca Pilgrim’s Pride –extrapolando, teriam sido 960 milhões de animais em 2014–, segundo a revista “ISTOÉ Dinheiro”.

Parte do grupo, a Pilgrim’s Pride divulga ter a capacidade de “processar” 36 milhões de aves por semana –ou 1,9 bilhão por ano.  

CALÇADOS VEGANOS

Segundo a Peta (Pessoas pelo Tratamento Ético dos Animais, na sigla em inglês), a Mizuno americana, a Newton Running e a Brooks são as únicas marcas totalmente veganas de tênis de corrida. Veja no gráfico abaixo.

Segundo um levantamento do site Vegan8 (publicado pelo Vegan Kicks), outras empresas que se declaram veganas são Asics e Pearl Izumi. No outro extremo, a Diadora, a North Face e a Scott disseram não ter nenhuma opção vegana.

A maior parte das marcas têm alguma opção livre de ingredientes de origem animal (leia).

(Reprodução/Peta.org)
(Reprodução/Peta.org)