Desenvolvedora de SP cria Vinder, app de paquera para vegetarianos

Por Yuri Gonzaga

A programadora paulistana Carolinne Pinheiro, 20, junto com outro desenvolvedor, lançou nesta semana o Vinder, aplicativo para Android de relacionamentos para veganos que usa a localização do smartphone do usuário.

O app alude ao Tinder, app com funcionamento semelhante mas aberto a pessoas de todo tipo de dieta, como relatou o site Vista-se.

O Vinder é, teoricamente, restrito a veganos (que não consomem qualquer produto que tenha ingredientes de origem animal) e ovolactovegetarianos. (Depois da instalação, o usuário precisa definir se é vegano ou ovolacto).

Pinheiro, que é ovolactovegetariana há três anos, afirma que muitos veganos dizem ter dificuldade para encontrar parceiros também adeptos do estilo de vida usando apps de relacionamento convencionais. “Além disso, quando mencionam que são veganas a potenciais parceiros, são vítimas de preconceito e chacota.”

“Acabam passando por brincadeiras desagradáveis do tipo ‘vamos sair para comer uma carne?'”, diz Pinheiro, que diz estar em transição para o veganismo e que não teve qualquer experiência negativa com preconceito em relação à sua dieta.

O app, atualmente só para Android (versão para iPhone prevista para março, junto com uma para Windows Phone), foi criado junto com Mateus Brandão, um desenvolvedor de Brasília que não é vegetariano.

Em menos de dois dias, o app foi baixado 2.800 vezes. O Vinder permite procurar parceiros em um raio de até 300 km. Se o interesse é mútuo, o recém-formado casal pode partir para o abraço (mentira, para a janela de chat).

vinder2

“O pessoal tem gostado bastante da ideia. As pessoas estavam acompanhando o desenvolvimento do app há dois meses, todo mundo estava ansioso. Quando lançamos foi bem legal, as pessoas [usuários] ficaram mais animadas do que a gente”, diz.

“E o interessante é que só lançamos no Brasil, mas recebemos mensagem de pessoas de Portugal, da Espanha, da Argentina, do Uruguai, do México e da França para disponibilizar o app para esses países”, conta.

É preciso ter Facebook para usar o Vinder. O app exibe foto, idade, cidade, interesses em comum (baseado nas páginas curtidas no Face) e uma descrição inserida pelo usuário.

O login exclusivamente pelo Facebook é não só para facilitar o uso, mas também para bloquear potencial conteúdo impróprio, como imagens com nudez.

A ideia nasceu há pouco mais de dois meses, quando uma brincadeira surgiu espontaneamente no grupo Ogros Veganos no Facebook, em que os ditos “ogros” se encontravam a partir das fotos de pratos preparados por eles mesmos.

“Funcionava como um ‘match’ entre pessoas pelos pratos de comida que preparavam e postavam no grupo. Exemplo: postei um prato feito por mim, e a pessoa x curtiu. A pessoa x fez um prato e postou, e eu curti”, explica.

“A brincadeira viralizou e todo mundo sugeriu que alguém desenvolvesse um aplicativo de match entre pessoas veganas e simpatizantes. E foi assim que eu decidi criá-lo.”

Pinheiro conta não ter namorado um(a) vegetariano(a) ainda. “Nunca tive relacionamento com um vegetariano, mas quem sabe agora com o Vinder eu não tenha, né?”, brinca Pinheiro, que não usa o Tinder. “Só Vinder.”

Até agora, conta, “soube de gente apaixonada [entre os usuários], mas casal ainda não tive notícia.”